domingo, 5 de abril de 2015

Instituto de Odivelas (1900 - 2015)


Caros leitores,

aqui vos deixamos a imagem de mais um bilhete postal que foi colocado em circulação no dia 09 de março de 2015.

Este bilhete postal tem como tema os 115 anos do Instituto de Odivelas que em 2015 perfez 115 anos da sua fundação.

"O Instituto de Odivelas foi fundado pelo Infante D. Afonso, Duque do Porto, em 14 de Janeiro de 1900, no palácio do Conde de Sobral, à Luz. O próprio Rei D. Carlos, acompanhado pela família real, procedeu à inauguração do então Instituto D. Afonso, onde ingressaram as primeiras 17 alunas.

Esta escola foi uma iniciativa de alguns elementos das Forças Armadas que queriam proporcionar às filhas de Oficiais cujos pais tivessem morrido em combate ou por doença, uma educação condigna e completa. As Escolas da Légion d’Honneur, em França, fundadas por Napoleão em 1806 com objectivos similares, foram inspiradoras dos oficiais portugueses.

O Instituto, que só em 1902 começou a funcionar no Mosteiro de Odivelas, privilegiou desde o início os cursos de formação prática, sem descurar a cultura geral, as línguas estrangeiras, a ginástica e a religião e moral. Os cursos de magistério primário, de escrituração comercial, de telegrafia, modista e outros permitiam às alunas ingressar no mercado de trabalho.

Após a implementação da República, o Instituto sofre modificações nos cursos e respectivos curricula. É o tempo de importantes alterações económicas e sociais que originaram mudanças nas mentalidades e uma aproximação crescente de Portugal à Europa.

Designa-se por Instituto de Torre e Espada e depois por Instituto de Educação e Trabalho, a partir de 1911. A formação das crianças passa a ser orientada para o futuro numa sociedade nova em que a Mulher viria a ter outras funções e responsabilidades.

Em 1942, depois das alterações nos planos de estudos, recebe a designação de Instituto de Odivelas. É considerado Liceu Nacional e Comercial, pelo que passam também a funcionar os cursos geral e complementar do Liceu e os cursos do ensino técnico-profissional. Entre 1945 e 1950, o edifício é objecto de remodelações, tornando-se mais confortável e adaptado à sua função, com capacidade para cerca de 400 alunas.

A reforma educativa, após a revolução de 1974, eliminou o ensino técnico-profissional. Para além dos planos oficiais de estudos, o Instituto continuou a proporcionar a oferta de um currículo próprio com disciplinas como Drama Educativo, Higiene, Puericultura, Culinária, Equitação ou Esgrima e Inglês Prático ou Francês Prático, com professoras da nacionalidade. Foram estabelecidos vários intercâmbios com escolas estrangeiras de França, Itália e mais recentemente também de Inglaterra e da Alemanha.

Foram introduzidas aulas facultativas de instrução militar no ensino secundário para permitir uma preparação para o acesso aos estabelecimentos de ensino superior militares. Para além dos cursos orientados para a prossecução dos estudos, foi ministrado também o curso tecnológico de Arte e Design. A Introdução à Informática passou a integrar o plano de estudos do 2º ciclo.

Actualmente, as cerca de 300 alunas frequentam os cursos do ensino básico (2º e 3º ciclos) e secundário (cursos científico-humanísticos) com as áreas disciplinares e não disciplinares curriculares do Ministério da Educação e as disciplinas curriculares e áreas de enriquecimento curricular do IO. Desde o ano lectivo 2000-2001, passou a funcionar também em regime de externato."

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ligações

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...